The Lair of Seth-Hades: TÁ.TU.A.TEI.HÁ.FOGO
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

domingo, 3 de outubro de 2010

TÁ.TU.A.TEI.HÁ.FOGO

TÁ.TU.A.TEI.HÁ.FOGO

A persistir e tanto fiar
Atei.mar ao corpo teu
E ao sentir que sumos
Ondas suaves a[r]ranha
Tece fotos, quadros e tua pele
Em lembrança inamovível
Na trama tecida és.haurida
E a.teia fogo queima
Mesmo à diz.[tu].ânsia...
Que disto.âncio ãn.seio teu
Andar.ilham dedos
A.saltar a geografia tua
A.lasca fria nua
O círculo de fogo
E tanto atei.mar
Entre arquipélagos teus
Que uni.versos
E uni continentes
Donde só.pra ti
Brisa suave
Em.corte.nada
Sem mim és.quer.ser
E é pôr já.nela
Já.nela.ando
Que me perco
Ser.é.nada
Sê.para ti em.sê.já...
Pra ti em.ti.mar
Em.mar.anhada
A.foi.tu?!
És.culpa d’alma
Teus novos horizontes
E se me conte.nua
Boca gêmea geme junto
Ao lado.e.ando-te
Em.balsa.amada
Transe.tando-te
E te tendo
Sem saber se a.clara
Ou se, ah[!], gema...
E eu, aqui, lendo-te,
No braile da alma
Ao tato agem as polpas
Tá.te.ando-te
E tu.pei tu porto
Em que me aconchego
Ancorado à tua tez [ouro]
A.costa.ela minha
Não de A.dão
Os ais que ela dá
Ela ex-ilha e ponte.ilha
E faz um tanto
Que derruba muros
Sim.gelo o coração
Na inicial timidez
De toda vez
Maravilhado ao ter/ler
E cada vez mais
Nas linhas de tuas mãos
Nas de tua face
Tato.ando a pele inteira
A segredar sem degredos
Meus dedos confiam
Sussurros à pele tua
E a prova de que cora.ação
Que te ver.melha de esguelha
Em cada uma de minhas passagens
A.prece.ando-te aqui
A.flor.ando-te ali...
De flor ando-te também...

Francisco de Sousa Vieira Filho 
ESCULTURA: Gina Cleghini - imaGINArio http://www.facebook.com/home.php?#!/photo.php?pid=137852&id=100001212807319&ref=fbx_album

39 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Na tecitura da pele...

Insana disse...

Muito bom..

bjs
Insana

Nina Blue disse...

Uma coisa ainda não te falei, acho que teus escritos trazem um "Q" lacaniano. São impressionantes, dilatantes e marcam o antes de tudo.Depois, ficam e se perpetuam...

Domingos Barroso disse...

A alma talvez cante assim
embriagada de sumos
e delícias
e assombros.

Essa tua capacidade
de mexer, instigar
e favorecer vida
às palavras
é de uma magia
delirante.

forte abraço,
Francisco.

Maria Paula Alvim disse...

Aprecio muito este recurso de atribuir novas significações às palavras qdo bem feito - que é, certamente, o caso aqui. Muito bom o poema, Francisco.

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Francisco!

Obrigada pela visita em meu humilde espaço! Vim retribuir-lhe a visita e adorei tudo que vi por aqui.

Estou seguindo-te...

Beijos

ju rigoni disse...

Francisco,

saiba que muito admiro a sua escrita. Não estou sempre por
aqui mas, tenha certeza, leio, via reader, tudo que você publica. Seu poetar é único e enriquecedor, pois está sempre abrindo novas possibilidades em significados.

Bjs, poeta. E muito obrigada pelos comentários. Fico feliz quando um poeta que admiro me visita. Inté!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
FRANCISCO

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

BAR DO BARDO disse...

d.
est.
ilo

h
-o
[st]
il

n
/i/h/
i.l

Mateus Luciano disse...

muito intenso isso tudo
eu não consigo achar o adjetivo que descreveria o que senti talves maravilhoso,deslumbrante ,bom ,bom mesmo é que foi!


ps : vi o filme e ainda estou deslumbrado

Lara Amaral disse...

Uau! Lindíssimo, que beleza ler algo assim!

Beijo.

tonhOliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tonhOliveira disse...



Pu.taqui.pá.ri(u)!

A.há! A.há! A.há! A.há!

Per.doi(a)-me a ex.pressão do ter.mo'cionei,
este pa.lá.v(r)ão se as com.posturas sé.rias de mim!

FransCHIC.o!

Um abra.são!

:)

Didi. disse...

Adorei a brincadeira desta colcha de palavras.

José Carlos Brandão disse...

Fiar
e
tecer
a teia
do corpo.
Ser
ara
nha
na pe
le
da lem
brança.
Ânsia
de tu
a ilha,
de nau
fragar
em ti,
total
men
te em ti.
Amar
em teu
mar.
Ta
tu
ei
em fogo
na al
ma
o amor.
A prece
de uma
flor
vermelha
nos teus
lábios.
êxtase.

Um grande abraço, Francisco.

Aníssima Duarte* disse...

Nuoossa, que versos cheios de paixão, que escrita maravilhosamente tua!
Gostei de tua técnica!
Abraço.
Estou em www.anaconfabulando.blogspot.com e
www.espacoliterariodaana.blogspot.com
Visite-me!

Gerana Damulakis disse...

Muito bacana sua originalidade poética. Fiquei especialmente tocada com os versos que vc colocou lá no Leitora. Obrigada.

Chili_Blond disse...

Nossa.....P-E-R-F-E-I-T-O *-*

Valéria Sorohan disse...

Como os demais, estou vendo que a sua inspiração não tem fim. Ou seja: estou diante de um blog para visitas diárias, para releituras constantes. Você ateou fogo com esse texto.

BeijooO*

Universo Fesanico disse...

Magnífica construção.
Bem vindo.

Cynthia Osório disse...

tua posia não tem limites, poeta!!

Bravíssimo!

Adriana Karnal disse...

nossa, nem sei o q te dizer....s´sei q o poema pega fogo, queima como gelo em brasa ...lindo, viu?

Benjamin disse...

O Braile dos videntes fecha os olhos toca e sente surreal no império dos sentidos.
Abraços Poeta.

mdsol disse...

;)))

Moni. disse...

Um poema obra-de-arte!

Encanta essa intimidade com as palavras... Inclusive a que permite que as próprias tenham... Palavras que se encostam, se tocam, usam-se uma da outra para serem mais...

Adoro te ler!

Um beijo,
Moni

Cris de Souza disse...

Que deleite, tu és ímpar!

Um par de beijos.

betina moraes disse...

francisco,

você escreveu no verso e eu tomo a frase lírica como definição de teu poema: braille da alma!


um beijo.

Nina Blue disse...

Deliciosamente bom de ler e de possibilitar a imaginação...

Nina Blue disse...

Ah, em tempo, adoro repetir meus comentários. Quando vale, é claro!

Lua Nova disse...

"...Tato.ando a pele inteira
A segredar sem degredos
Meus dedos confiam
Sussurros à pele tua..."
Linnnndo, meu querido!
como me impressiona esse teu dom, essa tua arte de escrever e entrelaçar sentidos. Parabéns.
Beijokas e um lindo fds.

guru martins disse...

...abstrato...

abraço

Insana disse...

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças"
Charles Darwin

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Francisco.

Nem preciso dizer que sou fã dessa sua forma de poetar, né?

Acho maravilhosa essa sua artminha com as palavras... rs Criatividade mil!

Parabéns, querido.
Beijos

Mulher na Polícia disse...

Uma nove milímetros de altíssima precisão... pistoleiro! Atirando versos para dentro da gente.
: )

Beijos!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

É que arde a tecitura bem urdida... ;)

Bjo, Vanessa! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, Insana, bjaum! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Uma coisa ainda não te falei, acho que teus escritos trazem um "Q" lacaniano. São impressionantes, dilatantes e marcam o antes de tudo.Depois, ficam e se perpetuam...

Nina Blue

Outro dia conversava com a Vanessa Souza Moraes e ela dizia que Lacan é um Freud não-chato - preciso conhecê-lo! Bjs mil, Nina! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

A alma talvez cante assim
embriagada de sumos
e delícias
e assombros.

Essa tua capacidade
de mexer, instigar
e favorecer vida
às palavras
é de uma magia
delirante.


Domingos Barroso

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Aprecio muito este recurso de atribuir novas significações às palavras qdo bem feito - que é, certamente, o caso aqui. Muito bom o poema, Francisco.

Maria Paula Alvim

Obrigado, Ma. Paula Alvim, forte abraço! ;)