The Lair of Seth-Hades: MUDO
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

MUDO

MUDO

No quarto-mundo, mudo, muda tudo
Silêncio que esquarteja, eu não me iludo,
Cioso a bem querer que a muda nasça
Mudança que não seja só fumaça

Que vingue, planto o plano e esta ânsia
Varrer-me muito mais que a ignorância
Que eu possa libertar-me, ser prisão,
Aquilo que quis feito ao coração

Quartel, broquel, cinzel me seja fel
Grilhão a.quarto.é.lado que foi céu
Tão logo eu me perca na emboscada
A carne me é posta em cantos cada

Que exposta ela me fica na rubrica,
Do que me quis grafar, e.na.morada,
Comer-me, de bocado, em só garfada
Na dor e no clangor de guerra rica

Morder pitacos d’alma é que se quis
Fazer bem mais que outros, foi que fiz
E ousei beber da dor ignorada
Saber que possa ser da alma amada

Ciente, mais que sente, a se perder
Quisera a só do amor eu pertencer
Mas tempo, sei me falta, e já é.terna
A mente é.de.ficar-me esta caverna

Que a.talho eu, pedaço inda menor
E corto carne, sentido e sentimento
A fluidez deste silêncio me é pior
Se não me tira d’alma um só tormento

É que me quer turvar visão refeita
Espelho, olhar esguelho que me espreita,
Mal possa libertar o que mais queira
Sentir que entender só seja à beira

A desaguar, que o silêncio não desfaz
E nem a dor de em.tender que é fugaz
A fluidez que, já sem sopro, eterna fica
E mata a sede mesmo que me seja à bica

E se tal dor, que seja amor, se faça filha
Por mais pequena, de supor, que seja ilha,
Maior a pena é de saber que a de sofrer
Pois que fizera o não-sentir para não-ser

Ah, poesia, caminho em que se trilha,
Em que mais vasto mundo se palmilha
Um tal querer, que tal sentir e não falar?!
Mais vale senso e direção se for a.mar

Francisco de Sousa Vieira Filho

ARTE: yayeveryday.com-post-2460.jpg 

53 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Francisco!

Belo poema!
Falou tudo, mesmo MUDO.

Beijos ;)

Nadine Granad disse...

... sentir e não falar...
Tenho fa(lh)ado!...

Muito, muito rico!!! De valores que a ferrugem e a traça não corroem ;)

Belo!

Beijos =)

Lara Amaral disse...

Belíssimo, de qualidade inigualável! Voei junto com essa linda ilustração e com seu maravilhoso poema que metrifica nossos devaneios.

Beijo!

Duanny!. disse...

"Beber da dor ignorada"
Isso é que eu ainda tenho a aprender!

adorei o poema!

=)

Í.ta** disse...

a mudez também fala, não é mesmo, meu caro?

obrigado pelas visitas ao um-sentir.

sempre bom visitar-te aqui.

grande abraço!

Nine disse...

(reverência/)
lindíssimo poema...
Mudo...em silêncio, permuto!
Vagamente melancólico, como forma de vida contínua. Eu vivo, assim.

abraço.

Cris de Souza disse...

Na ponta da língua a palavra que finca...

Que beleza!

Beijo, poeta.

Valéria Sorohan disse...

Mudo mundo, senso e direção para tudo.

BeijooO*

Ava disse...

Francisco, que punjança de sentimentos derramas em teu poema!

Esse "morder pitacos d'alma é se quis..."

Algo que me traz uma figura tão forte...


Beijos e saudades minhas!

Lua Nova disse...

Ah! Poesia! Transcende o silêncio que esquarteza...
Beijokas.

betina moraes disse...

é belo!

a sentença ditada na última linha tem a dualidade que uma imagem lírica deve ter para captar a atenção do leitor: amar e ir a mar são coisas para as quais devemos voltar nossa atenção e nossos sentidos, são mergulhos desconhecidos. amar é sempre surpresa, o mar é sempre surpreendente. ambos são imprevisíveis! amor e águas, sede e necessidade... que poema sensacional!

Nina Blue disse...

Nós, pessoas, precisamos aprender que, o "mudo", é aquele que mais nos tem a dizer.
Fica aí o teu dito (per)feito.
Beijos ;)

Pólen Radioativo disse...

Poeta,
A mudança é um bem que o coração não reconhece de pronto. Contudo, não há o que se fazer, nem o que se dizer: Mudo!

Beijinhos e muita saudade, amigo!!!

Domingos Barroso disse...

Profundo envolvimento,
(pele, osso, suspiros)

um quarto vasto,
uma ampla alma

e as palavras
todas as planícies
e montanhas e lagos
...


Forte abraço,
Francisco.

Sônia Brandão disse...

Um silêncio que diz muito.

abs

Juan Moravagine Carneiro disse...

Andei meio ausente por vários motivos, porém estou voltando

abraços e aguardo sua visita no Rembrandt

khmer news disse...

Hello my friend, Your site is great, good job you do.
I also created many blogs but not good like yours, I mean the visitors.So

Please
could you exchange link with me?
Here are my blogs. you could choose to exchange ,

http://khmernewstoday.blogspot.com/

for news

Gabriela Castro disse...

Adoro esses jogos de palavras. Muito bem escrito. Gostei demais! beijos

tonhOliveira disse...



Imagem e poema ACASALADOS!

É.di.ficar-se.mpre!

Abra...São Chico!

Pâmela Grassi disse...

Francisco,

Volto de mim mesma e deparo-me com este caminho de poesia. O caminho da poesia perca-se de quereres transbordados,

Beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

Sentir e não falar é de faca.

Mulher na Polícia disse...

Poesia envolvente e relaxante. Que dá asas aos meus devaneios tolos. Muito bonito.

guru martins disse...

...realmente
ela é um caminho
em que se trilha...

abraço

Zélia Guardiano disse...

Francisco, meu querido
"Mais vale senso e direção se for a.mar"
Poema espetacular, em que pese ser utópico o desfecho. Mas, afinal, tem razão o meu poeta: não é pura utopia, a própria poesia?
Cada vez mais, amigo, eu me encanto com seus versos, ricamente elaborados. Você exerce tão grande domínio sobre as palavras que, a um simples estalar de seus dedos, elas correm obedientes e se colocam no lugar mais adequado para nos encantar definitivamente.
Enorme abraço!

Lisarda disse...

Chispa,fogo,iskra:fiquei mudo!

Vera Carvalho disse...

Tantas vezes bebemos de "dor ignorada" e sentimos sem falar... O seu poema está fantástico! Parabéns!

. intemporal . disse...

.

. bel.íssima a rima que arriba palavra.prossegue.a.palavra .

.

. como um chão que lavra .

.

. a seiva nata .

.

.

. onde o poeta ata e des.ata .

.

.

. abraço .

.

Cynthia Osório disse...

mudo mesmo, platando a muda silenciosa.mente, paciente.mente
ela responde a gente.

Beleza, moço!

BAR DO BARDO disse...

Trabalho bruto & abrupto que rompe...

:)

(Verificação de palavras: "frite".)

Ianê Mello disse...

Lindo poema, amigo
Me desculpe a falta de tempo.
Ela que me impede de comentar com frequência.
Grande bj.

JÁ TE ADD NO FACE.

OBRIGADA E APAREÇA.

CELSO MATHIAS disse...

RAPAZ! QUE INSPIRAÇÃO!
ESTOU PERPLEXO!!
LINDO DEMAIS ISSO, ME FAZ QUASE PARAR DE ESCREVER!!

SEM MUITO O QUE FALAR

ABRAÇOS

Xana disse...

Voei até aqui e adorei este teu Mundo mudo, apesar de tanto barulho não se ouve nadinha! às vezes o silêncio até é impossivel de se aguentar.
adorei e vou voltar, obrigado por me leres também!

Nadine Granad disse...

Estamos órfãos...
Cadê o escrevinha[dor] de mu(n)do!???

Adriana Karnal disse...

" pois que fizera o não sentir por não ser...lindo todo. Você liberta as´palavras

Diogo Didier disse...

Seu blog é diferente de TUDO o que eu já vi na net!

PARABÉNS POR ISSO!

Caяoℓ Łeaℓ disse...

Seu Blog ta muito legal, parabéns! Mas que tal colocar seu blog com dominio proprio, muito mais facil das pessoas aprenderem seu endereço. Caso tenha interesse entre em contato conosco pelo endereço www.carolleal.com.br.

Joakim Antonio disse...

Acho muito legal como, quando leio, surge um sorriso.

Tudo que é bom desperta sorrisos.

Parabéns!

Mulher na Polícia disse...

Oi querido!

Passei pra saber notícias suas. Espero que esteja tudo em paz, por aí. Se precisar chame a polícia.
: )

Grande beijo!

Hana disse...

Embriagada com seu poema, vim fazer minha declaração como fã sua a muito tempo, estava com saudades deste cantinho suave da poesia, sabe que admiro vc né, nem precisava falar.Falo de coração
com carinho
Hana

Hana disse...

Seus poemas lindos, são inatingiveis, ao meu humilde comentar, mas amo te ler.Menino onde vc anda em? Que seu fim de semana seja maravilhoso!
Com carinho Hana

Andrea de Godoy Neto disse...

Francisco, sempre me impressiono com a tua arte de unir e separar palavras, das prováveis e improváveis, e tecer versos incríveis.

sempre bom voltar aqui :)
beijos

Marinha disse...

Saudades de ti, querido! Volta!!!
Bj

Zélia Guardiano disse...

Querido amigo Francisco
Estou com saudade e preocupada: cadê você?
Tudo bem?
Assim espero!
Abraço apertado

Branca disse...

Esse silêncio atormenta, mas, é qdo nos conhecemos (e tb ao outro) profundamente.

Tenha uma boa semana!

Blog Piauí disse...

Olá, tudo bem? Estamos vindo até você para convida-lo à fazer parte do BlogPiauí. O BlogPiauí é um espaço para reunião de todos os Blogueiros Piauienses. Aqui poderemos trocar idéias, nos divulgarmos, dar dicas uns aos outros, aprender coisas novas e muito mais. Será um prazer tê-lo na nossa lista de Blogueiros. Visite-nos e deixe seus dados para adicionarmos você:
- Nome;
- Endereço de Blog;
- E-mail;
- E a título de pesquisa, nos informe de qual cidade/estado você está nos acessando agora.

Esperamos você.

:: blogpiaui5.blogspot.com

Bєzєяяa Guimaŗãeร disse...

Incrível!
E essa dor por acaso me satisfaz
pois num silêncio me refazer
e me faz ver o quanto se compraz
o amor em nos ter, em me ter e quer
sempre mais.

beijos,
Ry.

:)

Juliana Carla disse...

Francisco

Buscas conflitantes são feitas no silêncio. No amor esse falar ou não falar treme, vacila, cintila... Prisão? Até que se plante.

Bjuxxx e xerooo

Léo Santos disse...

Nossa, tchê, tu nem sabes a saudade que eu tava daqui. Mas juro... Não estava conseguindo acessar mais tua página o antivírus bloqueava... Hoje resolvi tentar e consegui! Que tri! Teus poemas continuam daquele jeito: de alto nível e vejo que estás usando e abusando do jogo de palavras, trocadilhos e coisa e tal... Muito bacana!

Um abraço!

modoimplicito disse...

Poesias deliciosas...

Que blog apaixonante, frequentadora assídua agora!
Beijo.

Anônimo disse...

Fiquei encantada com essa dança de palavras. Parabéns Moço!
Belo;)

Rosseane

F O W L disse...

IMPRESSIONANTE, me resta ficar MUDO com o poema mais do que magnifico!

Parabens!

mdsol disse...

Um ano bom

:)))

Flá Perez (BláBlá) disse...

com que alegria percebi agora o acerto de minha decisão(ao menos ler os blogs que me comentam, para pagar a visita)!: já no início saltou-me aos olhos, Hades, a quem já dediquei até poemas.
depois, lendo...
bem, faz tempo que não leio tanta forma(prezo, prezo sim!) com conteúdo de "sentir".
Basta dizer: quero seu livro, o BARDO TARDO , é claro! mas como estou sem condições de adquirir, ofereço em troca o meu único(por enquianto) filho, o LEOA OU GAZELA, TODO DIA É DIA DELA.
topas?

bjbjbj