The Lair of Seth-Hades: 02/09/10
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Vitória na derrota



Vitória na derrota

Decidi macular este espaço, mais uma vez, com algumas bobagens a la auto-ajuda... no reasons, então, lá vai...

Muitos experimentaram vitórias, outros tantos escreveram sobre ela: Airton Senna, Norman Vincent Peale, Thomas Alva Edson, Gandhi, Henry Ford, Ralph Emerson, entre outros. Há um sensível ponto de contato entre as vidas de uns e as idéias de outros: acreditar em si mesmo e nunca desistir. Errar é humano, diz o ditado, e - penso - devemos aprender com nossos erros. Um vencedor é feito de muita disciplina, persistência e (em alguma proporção) de aprendizadocom os próprios erros.
Certa feita, questionaram Thomas Edson acerca do exorbitante número de "erros" por ele cometidos na tentativa de fazer funcionar a lâmpada. Ao que ele respondeu mais ou menos assim: - erro é repetir um agir que se sabe fadado ao fracasso. Eu não cometi um só erro. Foram, é bem verdade, mais de mil TENTATIVAS, mas nunca repeti nenhuma delas quando as sabia erradas.
Pois bem, quando se pensa em que características formam um vencedor acredito que - ao contrário do que possa crer o senso comum - a principal delas seria o modo como se lida com a queda, o tropeço, a derrota, o erro. O vencedor é aquele que não dispensa muito tempo em lamúrias, é aquele que "sacode a poeira" levanta e luta, aquele que - tantas vezes o obstáculo se agigante diante de si - tantas são as que contra ele o vencedor se soergue combativo. Um vencedor, acredito, não é forjado tanto em suas vitórias, mas no modo como lidou com as derrotas e as lições disso colhidas. Pode parecer 'chavão', lugar-comum, mas acho que é por aí.
A vitória está em vencer-se a si próprio, e é exatamente disso que falamos: vencer nossos pensamentos pessimistas recorrentes, vencer nossa tendência a auto-crítica exagerada, elevar nossa estima e acreditar que - com persistência, disciplina e muita paciência - podemos vencer todos os obstáculos que a vida nos imponha. E pensar que foram bilhões de anos que despendeu um simples "coacervado" (a forma mais primitiva de vida) para chegar até o patamar da condição humana. Por si só já seríamos vitoriosos, os bilhões de anos da evolução refletidos em cada uma das funções dos sistemas e órgãos humanos. Por exemplo: não precisamos pensar detidamente para respirar ou para fazer nosso coração bater e no entanto isso é automático em nós. Acredito que se nos disciplinarmos no aprendizado (com os erros e - melhor ainda - a despeito deles) poderemos nos automatizarmos no bem-fazer, tornarmos nosso agir de suma eficiência seja em prol de nosso próprio crescimento, em favor do próximo ou em benefício do grupo ao qual pertençamos.

Francisco de Sousa Vieira Filho