The Lair of Seth-Hades: SÓ SEI QUE É DOR
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

quinta-feira, 20 de maio de 2010

SÓ SEI QUE É DOR



SÓ SEI QUE É DOR

Ausência é um dedo em riste
Que te aponta o que for triste
O que se fez, o que se deixou
Por quem aqui não nos ficou

A distorcer tudo o que existe
Pelo que já nem sei quem sou
Se sou que vivo ou que assiste
À sombra triste do que restou

Francisco de Sousa Vieira Filho


ARTE: http://fotos.noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/ilustracoes-inusitadas_album.jhtm?abrefoto=19 [Bruno Mota] - também disponível em: http://www.ubrunomota.blogspot.com/

30 comentários:

Felina Mulher disse...

Triste...como toda a dor.

Um beijo e um dia de Paz!

Ana Lucia Franco disse...

Francisco, belíssimo poema. A ausência é sempre um bom acorde. Teu canto saiu perfeito.

bjs.

BAR DO BARDO disse...

Cara, isso me parece um sujeito lírico que tomou uns cocorotes da musa. Parece...

Bom texto!

Pâmela Grassi disse...

Ausência escorre o esboço do silêncio. E dentro dele multiplicam-se os acordes de dor,

seus textos carregam tanto mar,

Zélia Guardiano disse...

Hoje estamos em sintonia fina: também falo de ausências...
Lindíssimo o seu poema, Francisco!
Um abraço.

Í.ta** disse...

ausência dói.

fundo.

grande abraço!

Nadine Granad disse...

Musicalmente belo!
Uma delícia de ler e reler!...
A dor tratada com a alegria de versos ágeis... Inevitável!...

Abraços carinhosos =)

Lara Amaral disse...

Bonito, como toda tristeza depois de escrita.

Beijos.

mdsol disse...

:))

LÍVIA COR. disse...

escreve q a dor passa...

Juan Moravagine Carneiro disse...

Ausência é algo que sempre me acompanha...

Belo poema

abraço

Juan Moravagine Carneiro disse...

Ausência é algo que sempre me acompanha...

Belo poema

abraço

Gerana Damulakis disse...

Que surpresa, cheguei para agradecer a visita ao Leitora e encontro um poeta. Gostei muito.

Adriana Karnal disse...

que bom q vc não rimou amor com dor...pq a poesia sofrida é tão difícl de acertar, vc acertou!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Framcisco! Um belo poema. Pequeno ne estrutura, porém gigante na profundidade.

Abraços e fique na paz de DEUS.

Furtado.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Da tristeza da dor e da perda inda verte beleza... ;)

Beijão, Felina!

:)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Acorde[mos], pois. :D

Beijão, Ana Lucia!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Fala, Bardo! Bem, pode ser encarada assim a ausência descrita, mas se enquadra em todas [inclusive a ausência de quem desta passou - se pra melhor só Deus o sabe] :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

mar[e-motos], motores e móveis do que tem me consumido nos últimos dias... :)

Bjs mil, Pâmela Grassi! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Logo passo por lá pra espiar seu canto e me afinizar na sintonia... ;)

Beijão, Zélia! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

E pro-fundo-a-mente... :)

Forte abraço, Í.ta**

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Fico feliz tenha gostado, Nadine. Forte abraço, menina! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Pensava sobre isso outro dia, Larita... é preciso deixar a dor aquietar, que no guante, quando da agudeza, quando nos pesa, falta voz, falta palavra, falta beleza até pra retratá-la... ;)

Beijão, cara Lara! :D

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

;) :D :) :P

Sempre presente, mdsol...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

E que o passe seja extremo, passagem só de ida ;)

Beijão, Lívia! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Pois, posso dizer, 'semos' dois, Juan!

Forte abraço!

:)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, Gerana! Vez em quando contista e cronista também [sem falsa modéstia] :D

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

E bem no alvo... ;)

Beijão, Adriana Karnal!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Profunda-idade tem disso... mesclar tristeza e beleza num só ofício...

Forte abraço, Rosemildo! :)

Bleffe disse...

Participe da campanha "Música em troca de Fraldas", que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

Música em troca de Fraldas



AMANHÃ tem Show do #Riounido, que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

#RioUnido