The Lair of Seth-Hades: FILHA DE BACO
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

terça-feira, 9 de março de 2010

FILHA DE BACO

 
FILHA DE BACO
                                 
               ao Bardo Henrique Pimenta
              [pela inspiração de seu poivre]

Banqueteia-se a branca bacante
E entre as pernas suas sou cativo
Pois se no brilho de seus olhos vivo
Se me dominam elas num instante

Que pernas e quadris e que talante
Em meu corpo, a cair, fazendo iso
E de seus lábios um esboço, um meio-riso
Dela sou, pra onde vou, eis o meu guante

E de bom grado é que navego sua nau
Seja pro bem, meu bem, seja pro mal
Que somos um, favor algum, até o final

E se quer saber qual seja o gosto
Que tem seu beijo, e mesmo ao rosto
É puro mosto, creia, é puro mosto!

Francisco de Sousa Vieira Filho

ARTE: http://25.media.tumblr.com/tumblr_ky5hy8I1tL1qzzhs8o1_500.jpg

"a poesia não é menos bela
 Que a foto e a menina nela"

38 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Agradeço por demais o mérito!

Espero que prossiga com Eros e Vênus...

Abraço, Francisco!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Forte abraço, Henrique! O último do 'poivre' superou... ficou bem acima da média... genial meessmo!

Abraço, hombre!

:)

Adriana Godoy disse...

Adorei esse poema, ainda mais com referência ao do Pimenta. Filha de Baco, "Banqueteia-se a branca bacante". Muito bom. beijo.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Beijos mil, Adriana! No arte do soneto, Henrique é sem-par...

;)

marinaCavalcante disse...

Ô, rapaz, estão muito belas suas linhas!

"E de bom grado é que navego sua nau
Seja pro bem, meu bem, seja pro mal
Que somos um, favor algum, até o final"

Adorei! Lindo, lindo. Eis o amor,
eis a paixão.

Abraço grande e obrigada por
sua presença em meu blog!!!

Lou Vilela disse...

Excelente, Francisco! O Henrique ins.pira. rsrs

Também adorei o título - já utilizei em um poema. ;)

Abraços

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Marina, eu é que agradeço sua presença por cá... que bom que gostou do poema, beijão, menina!

;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Lou, o Henrique é ninja rs... Ah, adoraria poder ler o seu Filha de Baco também... se for o caso, pode colar aqui e eu posto ele junto ao meu ;)

Beijos mil, menina!

Sandra Botelho disse...

O amor nada mais é que lançar o barco ao mar, sem remos, sem bussola, e muitas vezes perder-se sem jamais querer se encontrar.
E seu poema descreve bem esse sentimento tão intrigante e indescritivel.
Bjos na alma. Tenha lindos dias!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Belas palavras, Sandra, sou forçado a concordar...

Beijão, menina!

Seja bem-vinda por cá...

;)

Mai disse...

I n s p i r a d o r, Francisco.
Uvas, vinho, tudo BACAna.

abraços e bela homenagem ao Pimenta

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Mai, obrigado... ;)

BACAna...

:)

Ava disse...

Bem, digo que pela degustação lá o Poivre e aqui, chego a sentir na boca esse sabor de mosto...

Francisco a imaginação vagueia por entre as sensações aqui descritas.

"Dela sou, pra onde vou, eis o meu guante."

Bárbaro!


Beijos meus!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Bom deguste, Ava, e que o mosto não embriague, mas traga inspiração... já diz o ditado romano in vino veritas - no vinho a verdade...

Beijos meus!

;)

Layara disse...

...luxuriantes imagens dos versos
nascem inebriantes ao gosto do mosto
há de ser ácido esse gosto da filha de Baco, embriagante...

Besos!

me gustó y volveré!

mARa

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Layara, seja bem-vinda!

Venga siempre que quiera... este espacio aquí también es suyo...

Beijos!

;)

ONG ALERTA disse...

Beijo...paixão...até um dia poder ser amor de coração, paz.

Ava disse...

Uma verdade perigosa, as vezes..rs

Beijos meus!

Hana disse...

Olá, muito obrigada pelo carinho! Lindo seu post, deus Baco é o deus do vinho, ou estou enganada, faz tanto tempo que fiz história da arte que não tenho certesa...rs

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, ONG Alerta, tudo bem? Por certo os sentimentos transmutam-se e o desejo e a paixão podem dar vazão e ser a porta de entrada pro amor, sem dúvida é possível... ;)

Forte abraço e seja bem-vindo!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Perigosíssima, minha cara, Ava, perigosíssima... mas que é a vida sem riscos?! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Hana, é sim... Baco é o mesmo Dionísio - só se altera a visão do povo, ora Grécia, ora Roma...

GRÉCIA / ROMA
Zeus é Júpiter
Afrodite é Vênus
Ares é Marte
Baco é Dionísio [ou será vice-versa?! - não lembro...]

Um forte abraço, menina!

Marinha disse...

Lindo, instigante e inspirador esse espaço.
Estarei sempre por aqui.
Saudações poéticas.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Marinha, obrigado pela visita e por suas palavras... retribuo as saudações e seja sempre bem-vinda por aqui...

;)

Fique à vontade para comentar também... contribui com a instigAÇÃO...

Beijo, menina!

:)

Nydia Bonetti disse...

Que bonito, Francisco. Henrique é mesmo um super poeta. Eu costumo me isnpirar lendo seus haicais. :) Abraço!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

De minha parte, costumo me inspirar mais [por apego, gosto, predileção] em seus sonetos... no ofício, ele é mestre...

Beijão, Nydia!

:D

Lisarda disse...

Sinto tristeza ao no poder reparar a inacessível solidão de ista petit Venus...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Ignácio, tudo bem? Não sei se entendi corretamente, mas, penso, a solidão esteja sempre lá [mesmo na entrega]... a comunhão facultada aos corpos, é negada às almas [mesmo os 'sentires' - assim diviso as coisas - são solitários, únicos, próprios e incomunicáveis, exceto com os signos grosseiros de nossas palavras...

;)

Léo Santos disse...

Ah! Essa aí foi fácil Bixo!
Olha só o tamanho da musa!
Assim até eu me inspiro e
seria capaz de poetar...

Um abraço!

Lou Vilela disse...

ai, ai, ai...

O poema tá no Nudez (postado em 30/12/08). Ó, só não me peça novamente para postá-lo aqui. É muito simples para figurar ao lado dessa belezura que vc criou. rsrs

Abraços

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Forte abraço, Léo... a inspiração nos vem, não a escolhemos rs... mas, sou forçado a concordar, com uma dessas fica difícil não 'poetar' rs...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oxe, que bobagem... já disse alguém maior que a simplicidade beira a perfeição... nem se preocupe que vou atrás e logo ponho cá... :)

Beijáo, Lou...

;)

Lou Vilela disse...

Nem se atreva! hehehe

Thomas Albuquerque disse...

Linda imagem é a mulher quando musa...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Musa deva ser sempre para que, assim, linda... ;)

Bem-vindo, Thomas!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Inda não encontrei, Lou, mas postar cá é uma promessa rs... ;)

Lou Vilela disse...

Você não desiste fácil, né?! ;)
Deixo beijos e o véu do esqucimento. rsrs

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Sou brasileiro... não desisto nunca! rs... :)