The Lair of Seth-Hades: DA INCERTEZA
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

quarta-feira, 10 de março de 2010

DA INCERTEZA


DA INCERTEZA

Se incerto é o terreno e o pisar não é seguro,
Se eu terei de passar por areia movediça,
Que me deixem morrer ao encarar tal liça
Pois que, então, ressurgirei bem mais maduro...
Sem trazer comigo arrependimento um,
Ou guardar no peito um remorso algum
De, com vigor, a alma não haver lutado
Que só causa arrependimento o que se faz
O que não se faz é revisto e remontado
Por uma vida inteira, ou até mais.

Francisco de Sousa Vieira Filho

FONTE: VIEIRA FILHO, Francisco de Sousa. Lira Antiga Bardo Triste. Teresina - PI: Gráfica e Editoria O Dia, 2009. v. 500. p. 41.

ARTE: http://farm3.static.flickr.com - 2f3a5395d6.jpg

16 comentários:

Silvia Masc disse...

É... Análise de Decisão em Sistemas Complexos, tem sido o meu estudo... nada poético não? rs
Gostei muito.

beijinho

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Poético, sim, sem dúvida... pelo menos nesta perspectiva da questão ambiental, eu achei sim... ;)

Beijo, menina!

Í.ta** disse...

pois sim, muito apropriados os versos. incerteza que nos perssegue mesmo.

parabéns pelas construções "versais", novamente.

abraço.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, Í.ta**, forte abraço, brother...

Luciana P. disse...

Olá, Francisco, parabéns pela página. Muito interessante, com versos bonitos e emocionantes. É aconchegante e desperta curiosidade.

Beijos!

Lara Amaral disse...

Remontar a vida inteira deixa-me confusa, antes não se arrepender mais?
rs...

Gostei muito do texto, poeta!

Beijo.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Lara, tudo bem?

O mote do poema é bem carpe diem... melhor sentir remorso por ter feito, que se arrepender de nunca haver tentado... :D

Beijos mil, menina!

;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Luciana P., obrigado... seja bem-vinda e - como diz a 'pequena história':

"liberte-se do pó e da vertigem da jornada... e se permita, então, palmilhar cada canto e perder-se nos profundos meandros e sinuosidades do covil... conforto não há em suas paredes, com sombras e profundezas sutis, mas há tesouros em seus caminhos e sincera é a sua acolhida... pão humilde de uma arte menor e água sincera da boa amizade te são ofertados a mancheias... As portas da covil de Seth-Hades estão abertas..."

;)

Lou Vilela disse...

Mais além, me arrependerei do que não fiz e deixarei de fazer apenas o que não der tempo. rsrs

Brincadeiras à parte, sempre um bom texto!

Beijos

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Faz bem rs... quase proverbial rs... beijão, Lou!

Layara disse...

...essa caminhada por terrenos desconhecidos, dias de nossas vidas.
Vamos e passamos e de lá as vezes da lama renascemos igual flor de lotus.

belos versos, gostei imenso.

beesitos!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Por vezes, parece, só o incerto, o desconhido, é o que existe... de certo só a morte?! - sabe-se lá rs... [humor negro] Beijos mil, Layara

:)

Solange Maia disse...

de vez em quando é tempo de morrer...

e vem logo o outro dia... e o ressurgir... melhor e maior...

lindo texto.

beijo

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Obrigado, Solange... beijão! ;)

BAR DO BARDO disse...

Havia deixado um comentário inteligente aqui. O comentário era inteligente, mas eu não fui o bastante, pelo jeito, para salvar o bicho.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Zero stress, Henrique, sua presença aqui vale sempre, a despeito do comentário... pra ser sincero, confesso, há um tempo havia diminuído o ritmo da escrita e - hoje - retomei o ofício com mais afinco, graças à sua influência e inspiração em seus poemas...

Forte abraço, meu amigo...