The Lair of Seth-Hades: Vitória na derrota
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Vitória na derrota



Vitória na derrota

Decidi macular este espaço, mais uma vez, com algumas bobagens a la auto-ajuda... no reasons, então, lá vai...

Muitos experimentaram vitórias, outros tantos escreveram sobre ela: Airton Senna, Norman Vincent Peale, Thomas Alva Edson, Gandhi, Henry Ford, Ralph Emerson, entre outros. Há um sensível ponto de contato entre as vidas de uns e as idéias de outros: acreditar em si mesmo e nunca desistir. Errar é humano, diz o ditado, e - penso - devemos aprender com nossos erros. Um vencedor é feito de muita disciplina, persistência e (em alguma proporção) de aprendizadocom os próprios erros.
Certa feita, questionaram Thomas Edson acerca do exorbitante número de "erros" por ele cometidos na tentativa de fazer funcionar a lâmpada. Ao que ele respondeu mais ou menos assim: - erro é repetir um agir que se sabe fadado ao fracasso. Eu não cometi um só erro. Foram, é bem verdade, mais de mil TENTATIVAS, mas nunca repeti nenhuma delas quando as sabia erradas.
Pois bem, quando se pensa em que características formam um vencedor acredito que - ao contrário do que possa crer o senso comum - a principal delas seria o modo como se lida com a queda, o tropeço, a derrota, o erro. O vencedor é aquele que não dispensa muito tempo em lamúrias, é aquele que "sacode a poeira" levanta e luta, aquele que - tantas vezes o obstáculo se agigante diante de si - tantas são as que contra ele o vencedor se soergue combativo. Um vencedor, acredito, não é forjado tanto em suas vitórias, mas no modo como lidou com as derrotas e as lições disso colhidas. Pode parecer 'chavão', lugar-comum, mas acho que é por aí.
A vitória está em vencer-se a si próprio, e é exatamente disso que falamos: vencer nossos pensamentos pessimistas recorrentes, vencer nossa tendência a auto-crítica exagerada, elevar nossa estima e acreditar que - com persistência, disciplina e muita paciência - podemos vencer todos os obstáculos que a vida nos imponha. E pensar que foram bilhões de anos que despendeu um simples "coacervado" (a forma mais primitiva de vida) para chegar até o patamar da condição humana. Por si só já seríamos vitoriosos, os bilhões de anos da evolução refletidos em cada uma das funções dos sistemas e órgãos humanos. Por exemplo: não precisamos pensar detidamente para respirar ou para fazer nosso coração bater e no entanto isso é automático em nós. Acredito que se nos disciplinarmos no aprendizado (com os erros e - melhor ainda - a despeito deles) poderemos nos automatizarmos no bem-fazer, tornarmos nosso agir de suma eficiência seja em prol de nosso próprio crescimento, em favor do próximo ou em benefício do grupo ao qual pertençamos.

Francisco de Sousa Vieira Filho

Nenhum comentário: