The Lair of Seth-Hades: EVOLUÇÃO
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

EVOLUÇÃO


 
EVOLUÇÃO

Em berço pétreo é a semente nua
Da luz, nos céus acima, desejosa
Qual o homem que por vez intua
A espinhosa trilha ser formosa

Indiferente de saber a senda sua
E displicente ao quanto tortuosa
Aquela que amanhã ele conclua
Ou que lhe advenha tormentosa

Pois que talvez sede inda possua
Ao ver da trilha finda, a maviosa
E a dor que da alma quer se exclua
Não tarda arder ao peito sequiosa

E jaz na insatisfação de todo sua
A eterna humana busca, honrosa
Sonha, crê e quer que se conclua
A sua jornada eterna e vagarosa

E a semente que repousa na fruta
Qual no homem átomo ao arcanjo
Quer tão logo renascer-se arguta
A natureza refazer o novo arranjo

Francisco de Sousa Vieira Filho



FONTE: VIEIRA FILHO, Francisco de Sousa. Lira Antiga Bardo Triste. Teresina - PI: Gráfica e Editoria O Dia, 2009. v. 500.p. 8.


ARTE: Luiz Royo

12 comentários:

BAR DO BARDO disse...

A se pensar...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Viajei demais nesse aqui, né?! Mais filosófico, em si, que poético propriamente... em leve pitada sinestésico, mas até que ficou delineada a visão do caminhante-homem-humanidade e da evolução, fuga-do-sofrer, etc... tenho um grupo de amigos-irmãos que leu e disseram todos, quase que em uníssono: "que maconha!" rs...

lírica disse...

Oi Francisco!
Aí está o link para vc adicionar o sinhinho de vento.
Abraço e me desculpe não comentar teus sonetos, mas volto pra ler com calma :)

Lírica

lírica disse...

http://parts.kuru2jam.com/
o link !

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, Lírica... ;) Achei mt. massa o sininho... Alguns amigos dizem que meu blog é mais enfeitado que 'burra de cigano' rs... o Henrique ali acima me deu um monte de dicas pra modificar aqui tb...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

P.S.: sinta-se em casa, pode vir, ler, comentar quando queira e dê tempo... forte abraço! ;)

lírica disse...

Que bom que deu certo o sininho!

Quanto ao Henrique, ele é mestre, dos melhores que há!

Lírica

BAR DO BARDO disse...

Outro termo é "bicicleta de baiano". E quando o caso ocorrer, especificamente, em Salvador: "magrela de soteropolitano" - e tudo deve ser falado com bastante vagar...

Meu pai é do interior da Bahia - eu sou de certa forma baiano também (ao menos no sangue).

:)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

kkkkkk... 'magrela de soteropolitano'... gostei, vici bixim... kkkk

líria porto disse...

agradeço, moço, os lindos versos que deixaste em meu blog - apreciei a tua escrita, coloquei este teu espaço entre os favoritos.
besos

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, Líria, pus aqueles pois os de minha lavra que mais se assemelham à tua escrita... confesso, via de regra, me enveredo mais pelos sonetos... Seja bem-vinda, este espaço também é seu... besos! ;)

Adriana Godoy disse...

Filosofia poética...vou ler de novo. De qualidade. Bj