The Lair of Seth-Hades: AH, CABE... & SOMENTE
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

segunda-feira, 11 de abril de 2011

AH, CABE... & SOMENTE

AH, CABE...


Ao cabê-lo
Branco,
Cabedal
De estilos
Destilar
Possibilita
Notas novas
Novos tons
E zona gris,
Se não caiba
A cá, bê,
É ‘a’ inda assim
E ao acabar
Ou ar couber
Com os ‘pelos’
Incabíveis,
E a fazer
Algo inda mais vário
Dos caminhos
Todos
Pelos quais
Possíveis,
À cabê-los
Brancos,
Onde não
Caiba
Mais nenhum
Cabimento

Francisco de Sousa Vieira Filho
-------------------------------------

SOMENTE

Somente ela,
Quarto escuro,
Me aquartela;
Ela, meu apuro,
Ela, quarto escuro,
Em que o sol não lida
A só lidar a solidão [nela]
Ela, que é só muro,
Ela, quarto escuro,
Sem janela ou luz de vela
Cadafalso da verdade
Mais verdadeira
E por mais queira
Não há brecha e nem vinco
Mesmo tente com afinco
Nela pode penetrar
Me faltasse o ar
Mas o outro falta
Grave
E agrava;
Memoriza, mas não geme
Não se pode suprir e nem tocar
Neste vazio em que se anseia
É prisão da mais fina teia
Na tecida sem volta e sem retorno,
Que em seu indefectível adorno
Ela é só muro
Ela, meu apuro,
Ela é quarto escuro
Que se há dentre
Haja vários
Este é meu
Este sou
Mas ninguém entra ou sai
- Não se pode penetrar –
Pois somente
Neste cubo caiba [um só]
Bem importa saiba
Solidão é bem maior
Do que se supõe
É verdade que se impõe
Desvarios de saber
Que haja sós
Isolados
Ladeados
A fazerem vibrar na caixa acústica
Numa tentativa rústica [de romper]
Embora pouca nota digam
[Ou pouco possam dizer]
Ao resvalar na superfície uma doutra,
No que, a despeito de tudo, suplicam
[Sem saber]
Que mentira, é fato,
Mas nada entra;
Pois somente, só...
- Nada pode penetrar –
Somente, só,
Somente...

Francisco de Sousa Vieira Filho

FOTO: sadness_1024x1280byannejulie.jpg

7 comentários:

BAR DO BARDO disse...

São golpes verbais articulados.
Isso.

Felicidades, meu caro Francisco!

Lara Amaral disse...

Gostei muito, Francisco!

Grande beijo, ótima semana para vc.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Forte abraço, Bardo! Golpeemos arte.co[m].lados! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Forte abraço, querida Lara! ;) Uma boa semana pra nós todos... :)

♀♀ Maria Rosa Dias ♀♀ disse...

Olá, Francisco!! Muito obrigada por seguir meus blogs!!
Adoraria que comentasse em minha crítica e dica de trilha sonora do filme "Sweeney Todd", com Johnny Depp e Helena Bonham-Carter!!
O endereço é:
http://artes-e-entretenimento.blogspot.com/


Conto com você! Comente lá!! ^^
RIOT kisses,
Mari.

Rosseane disse...

Deveras fugaz que adentra na escuridão do sentido e dá sentido à escuridão. Palavras que revelam a solidez dos desejos e sentimentos em um único lugar. É uma querência de poder ir mais.. Adorei, Francisco. Sabe brincar de querer ser e de ser com eco da leitura e o sentido!

Zélia Guardiano disse...

Francisco, meu querido amigo, grande poeta!
Incríveis esses teus versos!
Fico impressionada com teu talento para elaborar tão rigorosamente essas estruturas verbais, sem que percam a leveza e o sentido...
Pelo contrário: justamente esse rigor é que lhes dá tamanha força!
Demais!
És um mago, querido...
Abraço bem forte!