The Lair of Seth-Hades: SÊ CÁ QUE SE DIZ.HÁ.FOGO JÁ SE APAGOU
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

domingo, 6 de março de 2011

SÊ CÁ QUE SE DIZ.HÁ.FOGO JÁ SE APAGOU


SÊ CÁ QUE SE DIZ.HÁ.FOGO
JÁ SE APAGOU

Carnavais
Vão
Se diz: ah, finados!
Os sentimentos
Passados
Em que se
Mergulha.a.dor
Que dor-ida
É que se foi
Foice ela
E eu d’olor ido
À cá ficar
Mas nem perfume
Dela fica
Se à deriva
Fico
Que dê.cifra
É dar valor;
É querer conhecer
Di profundis;
Mas valor algum
Me.do.eu
Me[ço a] dor
Que é nossa
A dê.sê.já
Mesmo por triz
Que nos seja ou haja
Um bis
Se na pauta fria
E fixa dos dias
Tu te ias
E sol não se fica
Se de mãos dadas
Quer mudas
Quer mudadas
Troco as tuas
Por outras
Assim, zen, tá!
Na quarta-feira
De cinzas
E todas mais
Se outono
Não estou
- Esta.ação
Que não se foi -
As folhas
É que se foram

Francisco de Sousa Vieira Filho

FOTO: minha 

21 comentários:

Í.ta** disse...

do jeito que vem, vai. passagens que acompanhamos.

muito bom poema!

abraços.

mfc disse...

As fotos estão óptimas!
Muitos parabéns.

Cynthia Osório disse...

folhas de outono, amor de carnaval, coisas de sempre e não de para sempre!

bjos!

Valéria Sorohan disse...

Amores vãos... Belissima expressão em tempo carnavalescos!

BeijooO*

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Foram-se as folhas e ficaram os versos fantasiados de carnaval.
Poema da hora, Francisco.
Abração.

Silvia Masc disse...

Ah, Francisco, que prazer estar de volta, aos seus poemas.

Nina Blue disse...

Foto sua, palavra sua, desejo seu...
o que mais para compor tão belo dito?

guru martins disse...

...o bloco
passou...

abraço

dadina disse...

vc tem medo de quê? que eu lei sua poesia? pronto já li.
P.s eu não sou um monstro e nem quero aparecer. meu humor é esse. creio eu q vc não o compraria, não é mesmo? foi o que pensei.
fique com deus, se isso for possivel.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Em tudo o que passa, se deixa algo que fica... :D

Forte abraço, Í.ta**

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, mfc! São amadoras, mas tow melhorando... :D

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Vestibulares, carnavais e amores... todo ano tem... :D

Beijão, Cynthia!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

E vão pro.fundo.a.mente...

Beijos mil, Valéria Sorohan! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Obrigado! Forte abraço, Paulo Jorge Dumaresq! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Silvia Masc! Bom ter você de volta por cá... espero em definitivo e que os problemas tenham sido solucionados da melhor forma... forte abraço, menina! Saudade! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Nina Blue! Sei que tenho sido o ausente dos amigos blogueiros, mas sua presença cá é sempre um bom termômetro pros meus escritos... bjaum, menina! ;)

P.S.: na correria das horas, espio sempre seu cantinho, embora nem sempre comente... estou em dívida... bjaum! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Passará, passarão e passarinho...

Forte abraço, guru... visito sempre o balaio, mas - confesso - o tempo tem impedido comentar como gostaria... :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, dadina, medos inexistem cá... visite e leia sempre... só julguei que onde viu falta de sentimento [no poema da Laís], vi em demasia, e por vezes menos nos meus... o humor talvez tenha impedido de compreender a ironia... ;) forte abraço e seja bem-vinda cá :D

Nina Blue disse...

Meu querido,
recebi ontem o seu livro. Amei, adorei, estou encantada...
Bei.jos

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Nina Blue, meu anjo, não tivesse dito jamais saberia que Maggy Xavier Pittas era você... :) Na blogosfera a gente acaba se apegando aos nicks e apelidos... ;) Bjaum! Que bom que está gostando! Aguardo suas impressões... Xêro!!! :D

Emoções disse...

A beleza existe em tudo - tanto no bem como no mal. Mas somente os artistas e poetas sabem encontrá-la."