The Lair of Seth-Hades: DA DOR DE AGORA
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

quarta-feira, 3 de março de 2010

DA DOR DE AGORA


DA DOR DE AGORA

Quero chorar e não tenho lágrimas 
Não, não as possuo mais! Não mais! 
É que as quero todas nessa alegria que tenho 
E, por malfadadas palavras, buscá-las venho 

Sinto-me triste qual feliz é o boêmio 
Qual o queimar da chama sem o crepitar do lenho 
Ah! Quantas dores terão secado meu cais! 
Algumas ainda ecoam nestes meus tristes ais. 

Passei agora (para muitos) o limite do crível 
E mesmo que esse meu falar seja punível 
Ainda assim, jamais eu iria recuar 

A presença das lágrimas não há de a dor apagar 
Deixai então meu íntimo chorar 
A dor da Felicidade [ainda] inexeqüível. 

Francisco de Sousa Vieira Filho.

FONTE: VIEIRA FILHO, Francisco de Sousa. Lira Antiga Bardo Triste. Teresina - PI: Gráfica e Editoria O Dia, 2009. v. 500. p. 20.

ARTE:  Night Butterfly - IsabellasART - http://isabellasart.deviantart.com/art/Night-Butterfly-Shadow-Puppet-91902932

35 comentários:

Juliana. disse...

Oi Francisco que palavras hein..
sinta-se já convidado para participar do aniversário do Palavras em vão, convidado de honra viu!
A dor é algo que transborda o nosso limite, se derrama em lágrimas, afeta o nosso íntimo e modifica palavras e como machuca!
Um beijo da Ju ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Obrigado, Ju, seguindo lá... e parabéns! ;)

Lisarda disse...

"meu íntimo chorar"... Embora não seja visíbel, existe.E querer as lágrimas pra alegría, tambén. Bom poema, com sensacoes sem por qué.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

É isso aí, Lisarda, por vezes o porquê cabe à razão [e é só de sua alçada]... as sensações, não... ;)

Denise disse...

eita moço, eu fico sem palavras com seus escritos!!

bjs doces

Hotel Crônica disse...

Legal...
Em algum ponto a alegria junta-se à tristeza...
É o que na bossa nova chamavam de saudade, por exemplo.
Aquela mistura de sensações que não se pode definir.
O choro sem lágrimas, interno.
Enfim, tudo que você descreveu muito melhor que eu poderia.
Bacaninha a poesia!
Abraço de quebrar a costela,
Blog Hotel Crônica

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Humildemente, eu diria que não chega aos pés do seu 'resoluto', postado de hoje [gostei muito meeesssmo], mas agradeço o elogio... e que meus textos outros possam te fazer voltarem as palavras, sobretudo se tão belas quanto ali... ;)

Bjus mil, menina!

;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Forte abraço, H. Crônica, captou com precisão a mensagem... ;)

A Mina do cara! disse...

Lindo poema!!!

ontem mesmo estive assim, um pouco triste, sem saber de mais nada...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Valeu, M. do Cara, seja bem-vindo... :)

Nydia Bonetti disse...

As lágrimas não fazem a dor passar, mas aliviam... Concordo com você, Francisco: a verdadeira religião é a do íntimo e a do coração. Isto você pode viver dentro de uma religião, ou fora delas. Abraço!

Angel disse...

Excelente, Francisco!

Abração :]

Silvia Masc disse...

...Vai minha tristeza e dia á ela que sem ela não pode ser.

Oi Francisco,
Querer as lágrimas para chorar a alegria me traz a sensação de que a tristeza já foi embora, e que a felicidade está próxima
beijinho

Stutz disse...

Olá, vim agradecer a visita e dar aquela olhadinha nas suas palavras.

Admiro tanto quem sabe escrever poemas.
Eu estou presa à prosa, e ela a mim.
Em tantas lutas pela liberdade, essa é a única que não sei vencer.
Tento, mas nada de poesia sai desses dedos :/

Em todo o caso, meus parabéns.
Belos textos.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Obrigado, Angel, forte abraço! :)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

As impressões e intuições de vez em quando se comprovam - imaginava que pensava assim... valeu, Nydia, beijos mil! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Também creio, Sílvia, esse misto, essa mescla dor e alegria, deve ser uma espécie de antegozo, antevisão da felicidade porvindoura... Beijão! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Todos temos nossas escravidões ante ao estilo, a escrita... a minha já sei - reconheço-a ao longe - apego à forma, à fôrma... :) reconhecer os aguilhões que nos mantém cativos já nos faz um pouco mais livres que aqueles tão escravos quanto, que se imaginam libertos... :) Beijão, Stutz!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

P.S.: uma confissão... considero-me melhor contista e cronista que poeta... já publiquei meu livro de poesias, mas o fiz meio que como cobaia pros demais... ;)

P.S.2: lá, bem no início do blog, constam algumas crônicas, mas nenhum conto... em tempo exponho alguns aqui... :)

Bejão, Stutz...

Whatahell disse...

"A dor de hoje, torna-nos mais fortes para amanha"..

=)

Lara Amaral disse...

Soneto de chorinho
que dá samba
embala o peito.

Bonito mesmo.

Beijo.

Ava disse...

Oi moço!

Perdida na minha cruel realidade, estou com belos poemas de atraso...rs

Meu Deus! Voce é magistral com as palavras, e minha admiração me deixa embasbacada, ao constatar como as palavras dançam suavimente sob o dominío de teus dedos.

Voce, como que puxou todas as minhas dores com esse poema tão dolorido.

As dores, quando as imaginamos curadas, ficam camufladas por uma falsa alegria, mas estão lá, ecoando.

E ai eu também me pergunto:

"Quamtas dores terão secado meu cais!"

Ai, ai, ai, falar mais o que? Se diante de tantos sentimentos, nos sentimos assim, como a suspirar num final de tarde...

Beijos!



PS: Vou colocá-lo entre meus favoritos, assim não perco tuas atualizações...

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Como diz a minha mãe, dá casca... rs... Valeu, Whatahell... forte abraço!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Obrigado, Lara... Beijo! ;)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Ava, tudo bem?

Lembrando aqui o que escreveu: Realidade. Pés no chão. Cabeça nas nuvens. Qual o segredo para viver esse paradoxo? Uma pequena trégua na lida do dia sempre cai bem... a poesia talvez possibilite isso, um bom gole de água nesses dias arenosos - umedecer garganta e olhos cansados da rotina e do stress diários... Beijos mil! ;)

Ana Paula Duarte disse...

É incrível como andarilhando pela Blogosfera, a gente encontra cada coisa linda!
Assim é teu blog, adorei tudo, principalmente as descrições em latim!
Obrigada pelos elogios e por seguir, estou fazendo o mesmo, não por retribuição, mas porque teu blog é ótimo espaço de leitura.
Abraço, voltarei com certeza!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Até hoje uma única outra alma curiosa [além de você] perguntou acerca das frases em latim [risos]...

Aqui a tradução/versão de cada frase:

1.º - 'Homo res homine sacra' [latim] é de autoria de Sêneca (filósofo romano, infelizmente, preceptor de Nero) - quer dizer: o homem é coisa sagrada para o homem;

2.º - 'Noli foras ire, redi ad ti ipsum. In interiori homine habitat veritas.' [latim] é de Santo Agostinho - quer dizer: não te vás fora, volta-te para ti mesmo. No interior do homem é que habita a verdade;

3.º - 'Nosce te ipsum [latim] - Gnothi seauton. [grego]' do oráculo de Delfos na Grécia antiga e também lema do pensamento socrático - "conhece-te a ti mesmo"

4.º - 'Veritas lux est'. (...) 'In eo vivimur, movemur et sumus.' ambas da bíblia: "a verdade é a luz" e "Nele vivemos, movemos e somos"

5.º - 'Nisi credideritis, non intelligentis.' - também da bíblia, no livro de Isaías, versículos 7:9, que significa: "se não acreditares, não compreenderás"

6.º - 'In'lak ech.' - texto Maia que quer dizer: "eu sou outro você"...

Pus na barra lateral direita alguma explicação acerca do título do blog... :)

Também apreciei muito o seu espaço, bem como a proposta.

Há pouco estava há a pensar no quanto as pessoas têm sede de arte / compartilhar idéias / etc, quando - fuçando 'posts' de um blog ou outro - me dava conta do quanto a 'blogosfera' é um celeiro rico pra isso... :)

Seja bem-vinda, Ana Paula... sinta-se em casa aqui...

:)

mdsol disse...

Muito bem

:)))

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, mdsol... ;) :D

Hana disse...

Agradecendo sua gloriosa visite em minha humilde casa, deixo um carinho em forma de...muito obrigada de coração!

Ciclo da vida ao contrário... por Charles Chaplin

A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.
Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito? Charles Chaplin

Costureira de estrelas. disse...

Olá!
Lindas palavras as suas...
Lágrimas, lágrimas...
Difícil conte-las quando elas se desenrolam da gente...
Obrigada pelos comentários em meu blog!
Volte sempre =*

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Hana, obrigado por me brindar com Chaplin... digo de antemão sua visita [como todas mais] são maravilhosas [é esse diálogo que enriquece; é essa troca que inspira ainda mais...] de modo que sou eu que agradeço...

Um forte abraço, menina!

:)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Costureira de Estrelas, seja bem-vinda por cá também... eu é que agradeço sua presença...

Um forte abraço!!!

:)

Eliana Mora [El] disse...

muitas as dores que a nós se achegam pela vida
que venham [sonetaremos mais!]

belíssimo!

beijo.El

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Assim seja, El... ;)

Beijão!

:D