The Lair of Seth-Hades: TODO FIM DE ANO É MESMA COISA
Arte: Meats Meier - http://beinart.org/artists/meats-meier/gallery/meats-meier-2.jpg
Presente do amigo Zorbba Baependi Igreja - artista plástico, poeta e um dos idealizadores da Revista Trimera de Letras e do Projeto Academia Onírica [poesia tarja preta].

LIRA ANTIGA BARDO TRISTE & LIRA NOVA BARDO TARDO

Galera, estou pondo uma conta PagSeguro à disposição, para quem [assumindo o risco por sua própria alma] tenha interesse em adquirir um de meus livros [Lira Antiga Bardo Triste ou Lira Nova Bardo Tardo]. O custo de cada exemplar é de R$ 10,00 + R$ 5,00 de frete. Valeu! :D

P.S.: a PagSeguro não fornece um sistema de cadastro de vários produtos, de modo que, quem efetue a compra, deve me enviar um e-mail [iarcovich@hotmail.com], ou mesmo me deixar 'comment' aqui mesmo num dos 'posts', dizendo qual exemplar deseja receber. Por hora, a forma de pagamento disponível é apenas a de boleto bancário. Amanhã já liberam pra cartão. ;)

Pag Seguro - compra dos livros

Carrinho de Compras

sábado, 20 de dezembro de 2008

TODO FIM DE ANO É MESMA COISA

TODO FIM DE ANO É MESMA COISA


Todo fim de ano é mesma coisa – assim dizem alguns – são desejos de paz, saúde, harmonia, felicidade, e tudo enfim. De intenções, idéias e pensamentos bons o inferno está cheio, dizem. Desconhecem estes que o pensamento muda o mundo. Mas de que modo?! O pensamento antevém a ação, é fato. Nada realizou o ente humano sobre a Terra sem que tenha planejado, arquitetado, pensado, desejado.

Outro dia li uma reportagem sobre a plausibilidade de o pensamento atuar diretamente sobre a matéria; em que um grupo de pesquisadores resolveu analisar a probabilidade de que o pensamento pudesse modificar a forma de cristais de gelo. Dois grupos distintos de pessoas debruçaram pensamentos de ordens diversas ante frascos de água, que - ao final - eram congelados. E, por fim, se constatou serem mais proporcionais, mais harmônicos, mais simétricos, e, portanto, mais belos (não o belo subjetivo, claro), os cristais daqueles frascos ante os quais se pensou coisas boas, bons desejos, sentimentos edificantes. Ao passo que os cristais diante dos quais se pensou "coisas ruins" eram disformes, não-harmônicos, desproporcionais, e - porque não dizer - feios! O mesmo se fez com plantas, as quais, expostas à música clássica se teriam tornado mais frondosas que aquelas expostas a outros estilos.

Pois bem, já imaginaram, então, se não fosse isto, esta nossa "pretensa hipocrisia", segundo o argumento de alguns, de todos os finais de ano desejarmos coisas boas uns aos outros, estes poucos instantes em que dedicamos um mínimo pensar de bem direcionado ao próximo?! (ainda que seja ao nosso próximo mais próximo - amigos e familiares).

Então é isso, enquanto não somos suficientemente disciplinados para agirmos no sentido de melhorarmos o mundo, e sequer a nós mesmos, pensemos e desejemos, sim, como antevisão da ação que certamente um dia virá! E que, pode bem ser, molde, de já, na água de nossa inação do hoje, os cristais que se solidificarão num mundo melhor de amanhã, mais humano, menos rude para com todos os que padecem. E é por isso que desejo de já: muita Paz, Saúde e Felicidade a todos!

Como sempre gosto de repetir - o que não torna menos sincero este desejo - que a Divindade vos conceda o necessário para realizarem todos os projetos e sonhos puros do coração, afinal, somos oleiros de nosso próprio barro!

Um forte abraço a todos!

FRANCISCO DE SOUSA VIEIRA FILHO

Também disponível em:
www.portalodia.com/jornal/pages/pdf_30-12-2007_6_20071229142649.pdf

Nenhum comentário: